Futuros Possíveis/ Possible Futures

Arte, Museus e Arquivos Digitais


Deixe um comentário

Refazer, reapresentar, rever (De colecionar a produzir um legado cultural em mídia-arte) / Re-Make, Re-Perform, Re-View – From collecting to producing cultural heritage in media art

Depois da experiência de dois projetos no Centro ZKM Center de Arte e Mídia em Karlsruhe, Alemanha, “Media Art Net” e 40yearsvideoart.de, vou examinar algumas práticas específicas de coleção e exibição em museus que podem ser resumidas sob a rubrica “O museu como produtor”. Minha apresentação vai discutir a noção de relatividade da imagem eletrônica e a performatividade da arte contemporânea à luz de recentes aquisições do Museu de Arte Moderna de San Francisco.

/

Following the experience of two projects at ZKM Center for Art and Media in Karlsruhe, Germany, “Media Art Net” and  40yearsvideoart.de, I will look at some museum specific collection and exhibition practices that can be summarized under the rubric “The Museum as Producer”. My presentation will discuss the notion of relativity of the electronic image and the performativity of contemporary art in light of recent acquisitions at the San Francisco Museum of Modern Art.

Rudolf Frieling

Anúncios


Deixe um comentário

Net arte desafia a preservação/ Net art challenges preservation

O modo como os artistas fazem e usam sua documentação, do desenvolvimento até a apresentação final de sua obra, oferece informações que são importantes para sua preservação ou recriação. Os modelos de documentação tradicionais dos museus não levam em conta as qualidades específicas e inerentes dessas obras. Documentar a net arte exige uma nova compreensão da teoria da conservação. Em vez de trabalhar para uma abordagem de fixação, voltada para o objeto, proponho enfocar a documentação do processo e a experiência de uma obra: manter o conhecimento e a memória vivos, mas aceitando uma perda de história.

How artists make and use their documentation, from the work in progress to the final presentation, gives information about a work, which is important for the preservation or recreation of a work. Traditional museum documentation models don’t take into account specific and inherent qualities of these works. Documenting net art requires a new understanding of conservation theory. Instead of working towards an object-oriented approach of fixation I propose to focus on documenting the process and experience of a work: keeping knowledge and memory alive but accepting a loss in history.

Annet Dekker


Deixe um comentário

Arquivando o contexto: estratégias de preservação para a net art (um estudo de caso)/ Archiving the context: strategies for preserving the web-based art (a case study)

Dada a rapidez com que a World Wide Web como plataforma mudou nos últimos 15 anos, as questões de arquivar, documentar e preservar a net arte tornaram-se cada vez mais prementes. Preservar a primeira net arte é hoje uma grande preocupação das instituições e organizações no novo mundo da mídia-arte que começaram a apoiar e arquivar net arte em seus primeiros anos. Se a net arte é intrinsecamente contextual — já que muitas vezes faz contexto de seu conteúdo através de um processo de linkagem –, as instituições precisam preservar e arquivar seu contexto em constante flutuação? O arquivamento do contexto da net arte exige uma nova compreensão do arquivo como ambiente “vivo”, capaz de se adaptar às exigências cambiantes dos “registros” mutáveis que ele contém.

A apresentação vai delinear alguns desafios básicos do arquivamento, contextualização e preservação da net arte, usando como estudo de caso a preservação, pelo Museu Whitney, de The World’s First Collaborative Sentence [A primeira sentença colaborativa do mundo], de Douglas Davis, uma obra de net arte da coleção do museu. Ela foi encomendada pela Galeria de Arte Lehman College, no Bronx, em Nova York, juntamente com a exposição retrospectiva da obra do artista em 1994. Ela foi doada ao Museu Whitney por Barbara Schwartz, que, juntamente com seu marido, Eugene M. Schwartz, havia comprado o conceito e um disco assinado com gravações dos primeiros dias da Sentença.

O projeto permite que os visitantes do site digitem texto e contribuam para uma sentença infinita, que assume a forma de uma série de páginas em html e levanta questões interessantes. Como o website foi criado em html em 1994, ele parece desformatado, com camadas e fontes desiguais, o tamanho das fontes variando através do documento. Devem-se fazer modificações cosméticas, ou as páginas devem manter sua estética de “estilo sujo”? Em certo momento, grandes trechos da sentença parecem confusos, exibindo conjuntos de caracteres ilegíveis. O projeto foi incluído em exposições na Ásia, de modo que uma grande quantidade de contribuições foi feita em caracteres de línguas estrangeiras. Deve-se instalar um software adequado para tornar esses trechos legíveis? Eles devem ser traduzidos? A ilegibilidade deve ser preservada como um testamento das restrições e limites que a língua cria sobre a rede supostamente global? A informação contextual sobre as exposições em que o projeto foi incluído deve ser disponibilizada? A Sentença permite que os participantes incluam links para sites ou imagens externas. Depois de 15 anos, o projeto está sofrendo um grave caso de deterioração de links. Os links mortos devem ser deixados, indicando a natureza efêmera da web como hábitat para a arte? Ou devemos pesquisar o Arquivo da Internet para tentar recuperar as páginas ou imagens a que a Sentença remetia originalmente? Esta apresentação descreverá as abordagens adotadas pelo Whitney para responder a essas perguntas e discuti-las como um modelo potencial para a preservação da net arte.

Given how rapidly the World Wide Web as a platform has changed over the past fifteen years, the issues of archiving, documenting, and preserving net art have increasingly become pressing. Preserving early net art is now a major concern for the institutions and organizations in the new media art world that started supporting and archiving net art in its early years. If net art is intrinsically contextual—since it often makes context its content through a process of linking—do institutions need to preserve and archive its constantly fluctuating context? The archiving of the context of net art requires a new understanding of the archive as a “living” environment that can itself adapt to the changing requirements of the mutable “records” it contains.

The presentation will outline some of the basic challenges in the archiving, contextualization, and preservation of net art by using the Whitney Museum’s preservation of Douglas Davis’ The World’s First Collaborative Sentence, a net art work in the the museum’s collection, as a case study. The World’s First Collaborative Sentence was commissioned by the Lehman College Art Gallery, Bronx, New York in conjunction with its 1994 survey exhibition of the artist’s work. It was donated to the Whitney Museum by Barbara Schwartz who, together with her husband Eugene M. Schwartz, had purchased the concept and a signed disk with recordings of the first days of the Sentence.

The project allows visitors to the website to type in text and contribute to an endlessly continuing sentence that takes the form of a series of html pages and raises interesting questions. Since the website was created in HTML in 1994, it looks rather unformatted, with uneven layout and fonts / font sizes varying throughout the document. Should cosmetic changes be made or should the pages retain their “dirt-style” aesthetics? At a certain point, large sections of The Sentence appear garbled, displaying illegible character sets. The project had been included in exhibitions in Asia, so that an increased amount of contributions was made in foreign-language characters. Should appropriate software be installed to make these sections legible? Should they be translated? Or should illegibility be preserved as a testament to the restrictions and boundaries that language creates on the supposedly global network? Should contextual information on the exhibitions in which the project was included be made available? The Sentence allows contributors to embed links to external sites or images. After 15 years, the project is suffering from a severe case of link rot. Should the dead links be left alone, pointing to the ephemeral nature of the Web as a habitat for art? Or should one search the Internet Archive to try to retrieve the pages or images to which The Sentence originally linked? The presentation will describe the approaches taken by the Whitney to answer these questions and discuss them as a potential model for net art preservation.

Christiane Paul

<div style=”margin-bottom:5px”> <strong> <a href=”http://www.slideshare.net/futuros_possiveis/archiving-context&#8221; title=”Christiane Paul – Arquivando o contexto: estratégias de preservação para a net art (um estudo de caso)/ Archiving the context: strategies for preserving the web-based art (a case study)” target=”_blank”>Christiane Paul – Arquivando o contexto: estratégias de preservação para a net art (um estudo de caso)/ Archiving the context: strategies for preserving the web-based art (a case study)</a> </strong> from <strong><a href=”http://www.slideshare.net/futuros_possiveis&#8221; target=”_blank”>Simposio Internacional Futuros Possíveis | International Symposium Possible Futures</a></strong> </div>


Deixe um comentário

NETescópio: Dez perguntas em aberto sobre a conservação de arte eletrônica / NETescópio: Ten unanswered questions about the preservation of electronic art

Partindo de Netescópio, o arquivo de obras de net arte do MEIAC (Museo Extremeño e Iberoamericano de Arte Contemporáneo de Badajoz, Espanha), como estudo de caso, uma série de perguntas referentes à conservação de arte eletrônica serão postadas na rede. Essas perguntas vão abordar os seguintes temas: o paradoxo de tornar o efêmero duradouro; a net arte como uma forma de intervenção ou performance em espaços públicos; conservação de código fonte e telas versus conservação do fluxo de instruções e ações que constituem o conceito da obra. E, em termos gerais, sobre a conservação da informação: qual seria a melhor tática a aplicar para garantir sua sobrevivência? A prática de conservação científica mais cara ou a hiper-reprodução compulsiva através de qualquer mídia disponível? Os sistemas sobreviventes são aqueles que se defendem melhor ou os que se reproduzem mais?

Departing from Netescopio the archive of net-art works from the MEIAC, as case study, a series of questions will be posted concerning the conservation of electronic art. These questions will address the following subjects: the paradox of making the ephemeral endurable; the net art as interventions or performances in public spaces; conservation of source code and screens versus the conservation of the flow of instructions and actions that constitute the concept of the work. And in general terms, regarding the conservation of information: øwhich should be the best tactics to apply in order to ensure its survival? øThe most expensive scientific conservation practice or the compulsive hiperreproducton through any media available? øAre the surviving systems those that better defend themselves or those that reproduce the most?

Gustavo Romano

<div style=”margin-bottom:5px”> <strong> <a href=”http://www.slideshare.net/futuros_possiveis/gustavo-romano-netescpio-dez-perguntas-em-aberto-sobre-a-conservao-de-arte-eletrnica-netescpio-ten-unanswered-questions-about-the-preservation-of-electronic-art&#8221; title=”Gustavo Romano – NETescópio: Dez perguntas em aberto sobre a conservação de arte eletrônica / NETescópio: Ten unanswered questions about the preservation of electronic art” target=”_blank”>Gustavo Romano – NETescópio: Dez perguntas em aberto sobre a conservação de arte eletrônica / NETescópio: Ten unanswered questions about the preservation of electronic art</a> </strong> from <strong><a href=”http://www.slideshare.net/futuros_possiveis&#8221; target=”_blank”>Simposio Internacional Futuros Possíveis | International Symposium Possible Futures</a></strong> </div>