Futuros Possíveis/ Possible Futures

Arte, Museus e Arquivos Digitais

Museus paulistas e seus documentos / Sao Paulo’s Museums and their documents

Deixe um comentário

Nas últimas décadas, os museus transformaram-se e complexificaram-se tecnicamente. A face preservacionista que identifica essas instituições, perde espaço para as frentes de comunicação e pesquisa. Hoje, se fala menos de conservação do acervo e mais da sua apresentação para o público na forma de exposições de longa ou curta duração, suas itinerâncias e estratégias da ação educativa. Esse contexto de ampliação e atuação em múltiplas frentes reforçam as especificidades das instituições museológicas, mas parecem confundir as já tênues fronteiras entre arquivos, bibliotecas, centro de documentações e museus.

Os registros da atividade humana, em sua diversidade e complexidade, constituem o que denominamos de documento. Tecnicamente, documento é o conjunto da informação e o seu suporte. Documentos são elementos gráficos, iconográficos, plásticos ou fônicos pelos quais a ação humana é expressa e que para cumprirem suas funções em diferentes âmbitos – social, jurídica, científica, histórica, cultural, artística  – devem ser preservados, organizados e disponibilizados ao público.

Além do museu, há mais três tipos de entidades que têm o papel comum na guarda e difusão dos documentos: os arquivos, as bibliotecas e os centros de documentação. Essas instituições se diferenciam quanto ao tipo de documento que guardam e quanto aos procedimentos técnicos que empregam para organizar e descrever os seus acervos. O que define o documento de museu, arquivo, biblioteca ou centro de documentação é a sua origem e função.

Há um número significativo de museus do Estado de São Paulo, que possuem acervos arquivísticos e bibliográficos. Há alguns conjuntos documentais específicos, que estão na fronteira entre o manuscrito administrativo e o registro de um processo artístico e têm sido objeto de pesquisa, gerando reposicionamentos entre os setores dos próprios museus. Mas há, também, significativos conjuntos documentais depositados nos museus paulistas, que poderiam estar abrigados em arquivos ou bibliotecas dos municípios. É urgente debater e definir as responsabilidades em relação a esses acervos, tendo como parâmetros os marcos legais e conceituais e, principalmente, aprofundando o entendimento da natureza institucional dos museus na atualidade.

Renata Motta

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s